Sáb, 21 de Julho de 2018
Banner
NewsLetter

    confira-videos

      icon-twitter icon-facebook icon-Gmais 

Jovens ouvem pior

hits: 1689
por Alessandro Zagheni
Dom, 23 de Janeiro de 2011 14:53
PDF Imprimir E-mail

 

Um estudo publicado pelo 'The Journal of the American Medical Association' na última terça-feira revela que os jovens americanos entre os 12 e os 19 anos mostram sinais de perda auditiva superiores no período de 2005-2006, comparativamente com os anos entre 1988 e 1994, noticia o jornal brasileiro O Globo.

Jovens ouvem pior e a culpa é do MP3

 

Um estudo publicado pelo 'The Journal of the American Medical Association' na última terça-feira revela que os jovens americanos entre os 12 e os 19 anos mostram sinais de perda auditiva superiores no período de 2005-2006, comparativamente com os anos entre 1988 e 1994, noticia o jornal brasileiro O Globo.

A razão desta conclusão, defende o estudo, está relacionada com a maior exposição dos jovens, nesta faixa etária, a elevados níveis sonoros, nomeadamente através de leitores de MP3, mas também celulares com leitor de música.

De fato, nos Estados Unidos da América (EUA), local onde o estudo foi realizado, um em cada cinco jovens, entre os 12 e os 19 anos, apresenta já uma significativa perda auditiva. São valores em 30% superiores ao encontrados no estudo anterior, apresentado cerca de uma década antes. A diferença, explica este novo trabalho agora apresentado, é o tempo de exposição de cada jovem ao som produzido por aqueles aparelhos de reprodução: entre o primeiro e o segundo estudo, esse tempo mais que duplicou.

O uso destes aparelhos não é desaconselhado, como refere o autor da pesquisa, Gary Curhan. O que se pretende, no entanto, é sensibilizar os jovens para o limite de volume de ruído tolerado pelo ouvido humano, que se situa em cerca de 80 decibéis. Tudo o que supere este valor vai contribuir para uma perda da sensibilidade auditiva. Ou seja, com a exposição prolongada a ruídos elevados - os jovens que participaram no estudo ouviam música até 105 decibéis - a pessoa ouve cada vez menos, chegando ao ponto de comprometer a sua 'convivência social', como refere o artigo de O Globo.

Como estar alerta? 'Sensação de zumbido ou de abafamento de audição' são sinais a que deve prestar atenção.

 


 

 

image

image