Ter, 22 de Maio de 2018
Banner
NewsLetter

    confira-videos

      icon-twitter icon-facebook icon-Gmais 

Simples beijo no ouvido pode prejudicar a audição

hits: 3551
por Kendra Chihaya
Qua, 01 de Agosto de 2012 00:40
PDF Imprimir E-mail

 

Gesto carinhoso pode ser altamente prejudicial e causar perda auditiva permanente, segundo dados de uma pesquisa nos Estados Unidos.

 


Um gesto inocente pode ser altamente prejudicial e causar perda auditiva permanente, segundo dados de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos.Quando queremos demonstrar carinho para um amigo ou familiares costumamos dar um beijo no ouvido, no entanto esse doce gesto pode causar uma perda de audição permanente, segundo pesquisa realizada na Universidade de Nova York.

 

Um carinhoso beijo no ouvido pode causar uma grande pressão no tímpano, ao empurrar a corrente de ar para os ossículos no ouvido. Conhecido como o “beijo da morte auditiva” o estribo pode puxar o tecido que conecta os estribos para a janela oval no ouvido interno, o que causa turbulências no fluído da cóclea ou no ouvido interno o que pode levar a uma perda auditiva permanente.

 

“Prevenir é melhor que remediar”

O Dr. Levi Reiter é professor de audiologia na universidade de Nova York, Estado Unidos e tem diagnosticado mais de 30 vítimas de beijos no ouvido, conforme seus pacientes, os danos causados no ouvido assemelham-se a uma pancada de uma bola no ouvido. O uso de aparelho auditivo pode ajudar as vítimas “do beijo no ouvido” a ouvirem melhor, mas algumas ainda sentem sensações constantes de coceira e irritação no ouvido.

 

O pesquisador considera também o fato de que a aplicação da injeção de antibiótico, esteroide, no ouvido venha a ser um bom tratamento, procedimento usado em casos de perda auditiva repentina sensorineural (SSNHL). Para que haja resultados satisfatórios é necessário que se inicie a terapia logo que a perda auditiva for detectada. Em relação ao tratamento, o paciente deve   continuar até os sintomas desparecerem. E é importante sempre lembrar que “prevenir é melhor que remediar”.

 

Fonte: www.vitals.msnbc.msn.com

 

Leia Mais:

Deficiência auditiva atinge 9,8 milhões de brasileiros

MP3 prejudica audição, afirma estudo

Estudo aponta relação direta entre zumbido e estresse

Um entre cada seis adolescentes tem tendência a perda auditiva precoce

Hábitos de risco têm aumentado o número de jovens com problemas auditivos